A oração de Jabez – Alcançando a benção de Deus – Parte 05

Anteriormente no Simples Coisas da Vida:
A oração de Jabez – Alcançando a benção de Deus – Parte 01;
A oração de Jabez – Alcançando a benção de Deus – Parte 02;
A oração de Jabez – Alcançando a benção de Deus – Parte 03;
A oração de Jabez – Alcançando a benção de Deus – Parte 04.

Dando sequência, hoje segue a parte cinco. Se você não estiver entendendo nada, saiba mais no post “Aviso aos leitores do Simples Coisas da Vida“. Ei-la:

Bênçãos não se jogam fora!

Antes de sermos capazes de pedir a bênção de Deus com total confiança, precisamos de uma compreensão clara do que esta palavra significa. Ouvimos as palavras “bênção” e “abençoar” em todos os púlpitos. Pedimos que Deus abençoe os missionários, as crianças e a comida que estamos prestes a comer. É costume de alguns pedirem “bênção” dos pais ou avós.

Não é à toa que o significado da palavra “bênção” tenha se transformado em algo tão vago e inócuo quanto a expressão “bom dia”. Não é de admirar que os cristãos de hoje não estejam à busca de bênçãos – não sabem o que significa!

Abençoar no sentido bíblico significa pedir ou conceder um favor sobrenatural. Ao clamarmos pela bênção de Deus, não estamos pedindo aquilo que poderíamos conseguir pelo nosso próprio esforço. Estamos clamando pela maravilhosa e ilimitada bondade, que apenas Deus tem de conhecer e de nos conceder. É a este tipo de riqueza que o escritor de provérbios se refere: “A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas e preocupações” (Pv 10:22).

Observe um aspecto fundamental no pedido de Jabez: ele deixou inteiramente nas mãos de Deus a natureza da bênção, onde, quando e como ela seria dada a Jabez. Este tipo de confiança radical nas boas intenções de Deus para conosco não tem nada em comum com a “doutrina da prosperidade”. Ela prega que você deve pedir a Deus uma Mercedes, um salário milionário ou algum outro sinal exterior que possa significar que você encontrou um meio de fazer seu pé-de-meia através de uma conexão especial com Deus. Ao contrário, a bênção de Jabez é muito definida: Pede a Deus que ele nos dê exatamente que aquilo que Ele tem reservado para nós.

Quando buscamos a bênção de Deus como valor máximo para nossa vida, estamos nos jogando de corpo inteiro no rio da vontade de Deus, de seu poder e de seu propósito para nós. Todas as demais necessidades se tornam secundárias diante daquilo que realmente queremos: ficar totalmente imersos naquilo que Deus está tentando fazer em nós, através de nós e ao nosso redor, para a Sua glória.

Permita-me falar-lhe de um legítimo subproduto da busca sincera pela bênção de Deus: a sua vida será marcada por milagres. Como posso saber? Porque Deus nos promete, e tenho visto estas coisas acontecerem em minha própria vida! O poder que Deus tem de realizar grandes coisas de repente não encontra mais obstáculos em você. Você está caminhando na direção do Senhor. Está orando exatamente por aquilo que Ele deseja. De repente, as forças desimpedidas do céu começam a realizar a perfeita vontade de Deus – através de você. E você será o primeiro a perceber isto! Mas há um problema.

Seu João vai para o céu!

Suponha que Deus quisesse enviar-lhe 23 bênçãos hoje, mas você acabou recebendo apenas uma delas. Qual seria a razão?

Conta-se uma pequena estória na qual seu João morreu e foi para o céu. Pedro o aguardava junto aos portões para levá-lo a um passeio. Ali no meio do esplendor das ruas de ouro, das mansões celestiais e dos coros de anjos, seu João observa um prédio bastante estranho. Para ele aquilo se parecia com um enorme armazém – não tinha janelas e havia apenas uma porta. Porém, quando ele pede para entrar, Pedro hesita um pouco:

- Olha, acho que você não quer ver o que existe lá dentro – diz o apóstolo ao recém-chegado.

Mas porque deveriam existir segredos no céu? Fica pensando seu João. Que surpresa tão grande poderia me esperar ali? Quando o passeio oficial termina, seu João continua pensando naquele edifício e pede novamente para ver o que há lá dentro daquela estrutura.

Pedro finalmente cede. Quando o apóstolo abre a porta, seu João quase o atropela em sua ânsia de desvendar aquele mistério. Percebe que o prédio tem corredores e mais corredores com prateleiras, do chão ao teto, cada uma delas repleta de caixas brancas amarradas com fitas vermelhas.

“Estas caixas tem nomes escritos nelas”, nota seu João, pensando em voz alta. Então, ele se vira para Pedro e pergunta:

- Há alguma com o seu nome? – Sim – responde o apóstolo. Pedro tenta levar seu João para fora do prédio: – Francamente, seu João – diz Pedro – acho que se eu fosse o senhor… Mas seu João já está bem próximo do corredor “J”, procurando a sua caixa.

Pedro vai seguindo atrás, balançando a cabeça. Ele alcança seu João no momento exato em que este já puxou a fita de sua caixa e está quase tirando a tampa. Ao olhar o interior da caixa, seu João reconhece o conteúdo instantaneamente. Deixa escapar um enorme suspiro, semelhante aos muitos que Pedro já escutara tantas outras vezes.

A caixa continha todas as bênçãos que Deus queria ter dado a seu João enquanto ele estava na terra… Mas seu João nunca pedira.

“Pedi”, prometeu-nos Jesus, “e dar-se-vos-á” (Mt 7:7). “Nada tendes, porque não pedis” (Tg 2:4). A bondade de Deus não tem limites. Mas se ontem você não pediu a sua bênção, então você não recebeu aquilo que poderia ter ganhado.

É este o problema. Se você não pede a bênção de Deus, deixará de receber aquelas que são concedidas apenas mediante um pedido. Da mesma forma que um pai se sente honrado por ver um filho pedindo sua bênção, nosso Pai se agrada em atender generosamente quando a bênção dele é tudo o que você mais quer.

Abençoar faz parte da natureza de Deus!

Talvez você ache que seu nome também é sinônimo de dor ou problema, que a herança recebida de sua família são dívidas. Você não se considera um candidato a bênçãos.

Ou quem sabe, você é um daqueles cristãos que acham que, uma vez salvos, as bênçãos de Deus caem sobre sua cabeça como uma chuva regular, numa frequência determinada e constante, independentemente daquilo que você faça. Não é necessário nenhum esforço adicional.

Também é possível que você tenha optado por um modelo de “contabilidade espiritual”. Em sua conta de bênçãos você possui uma coluna para depósitos e outra para saques. Deus tem sido por demais bondoso com você nos últimos tempos? Então você conclui que não deve esperar, muito menos pedir, que Deus credite algumas bênçãos em sua conta. Você pode até achar que ele deveria ignorá-lo por uns tempos ou talvez fazer alguns saques, enviando algumas provações sobre sua vida.

Este tipo de pensamento é pecado, além de se constituir numa armadilha! Quando Moisés disse a Deus no Monte Sinai “rogo-te que me mostres a Tua glória” (Ex 33:18), ele pedia uma compreensão mais intima de Deus. Como resposta, Deus descreveu a Si mesmo como “Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade” (Ex 34:6).

Incrível” A própria natureza de Deus é ter bondade com tamanha abundância que ela transborda sobre nossas vidas indignas. Se você pensa que Deus não é assim, peço que mude sua maneira de pensar. Sugiro que você se comprometa a pedir – todos os dias – que Deus o abençoe muito.

A liberalidade de Deus é limitada somente por nós, não por seus recursos, poder ou disposição de dar. Jabez foi abençoado simplesmente porque se recusou a deixar algum obstáculo, alguma pessoa ou alguma opinião se colocar num patamar superior à natureza de Deus. Faz parte da natureza de Deus nos abençoar.

Sua bondade em registrar a história de Jabez na bíblia é uma prova de que o que importa não é quem você é, nem aquilo que seus pais decidiram que você fosse, nem qual é o seu “destino”. O que realmente importa é saber quem você quer ser, e pedir isto.

Através de uma simples e confiante oração, você pode mudar todo o seu futuro. Você pode mudar aquilo que vai acontecer no próximo minuto de sua vida.

Comentários

  1. rose oliveira disse

    Se bem soubessem as pessoas da riqueza escondida neste material tão bem e claramente escrito,se tornariam verdadeiramente mais que vencedores.Eu tenho um grupo de çpessoas na igreja as quais tenho ensinado sobre a benção de pedir a benção e hoje após ler este material tenho coisas a acrescer à eles;falar-lhes-ei sobre Joabez e lhes darei a chave para a porta da mudança de vida vir mesmo em meio aos decretos lançados(como também com Rei Ezequias).Obrigado por abrir minha mente em rumo à vitória eterna e que Deus continue lhe abençoando com benção dos ceús em nome de Jesus…divulgarei.Shalon

Deixe um comentário