É preciso mudar

trapezista1.jpgNossa vida pode ser comparada a um circo.

Cabe a nós decidirmos qual é o papel que exerceremos no picadeiro: um ilusionista, um malabarista, um palhaço, um trapezista ou ainda um domador de animais.

Deus nos deu o livre arbítrio e é com ele que iremos evoluir ou estacionar ou até mesmo, quem sabe, regredir. A opção é nossa. Responsabilizar os outros pelos nossos insucessos é buscarmos lama no deserto.

Posso ser um palhaço e fazer as pessoas rirem. Seria interessante para a sociedade e útil para meus amigos, nada mais faria do que produzir graça. Várias vezes nos comportamos como verdadeiros palhaços de picadeiro e achamos que as pessoas não percebem que nossa conduta é inadequada e inconveniente com o momento que estamos vivendo e da forma como estamos nos comportando.

Posso ser um ilusionista e correr os riscos de acreditar nas minhas próprias ilusões, deixando assim de entender e aceitar a vida como ela é. Viver de ilusões é a maneira mais fácil de nunca conseguirmos entender o que realmente acontece à nossa volta. Vivemos longe da realidade e distante da verdade.

Posso ser um malabarista e criar minhas próprias dificuldades e aprender com elas. O malabarismo nos ajuda a vencermos o nosso dia-a-dia e a descobrirmos nossas verdadeiras virtudes.

Posso ser um trapezista e administrar as minhas inseguranças da melhor maneira que a vida pode proporcionar. Quando mudo de um trapézio para o outro estou solto no ar, preso apenas à minha mente e assim aprendo que em toda mudança há incerteza. Aprendo que a vida exige exatamente isso: desafiar a nossa tranqüilidade e nossa forma confortável e cômoda de levarmos as coisas nesta encarnação.

Mudar é quebrarmos o maior paradigma de nossa existência: nosso conforto e nossa tranqüilidade. Mudar é entender a lei da evolução. Descobrir o que se faz aqui neste planeta e neste pequeno mundo em que vivemos.

Posso ser um domador e finalmente domar a fera da insegurança e da incerteza que vive dentro de mim. Combater os dois animais que habitam em meu ser: Um lobo e um cordeiro. Viverá aquele que eu alimentar com os meus pensamentos.

Este é o meu circo, pois posso ser o que quiser. Cabe a mim decidir o que serei. E o seu, já esta montado? Você já se descobriu? É só olhar para o seu interior… Aprenda que é preciso mudar sempre, dependendo da circunstância e dependendo da necessidade. Somos o que alimentamos em nossos pensamentos. Vivemos conforme o “circo que montamos”.

Texto de Saul Brandalise, diversas vezes alterado por mim.

This Love – Marron 5

Comentários

  1. Denize Cutrim disse

    achei bacana o texto,me identifiquei com suas palavras,parabéns pelo blog!!!te enviei uma sol..me add ok, para receber mais textos inteligentes como esse!

  2. Engraçadinha disse

    Eu certamente sou todos esses personagens.
    O q menos sou, é o ilusionista. Se bem q de vez em quando dou umas viajadas, mas graças a Deus, eu sei bem da minha realidade!
    Trabalho, trabalho, trabalho, graças a Deus.
    Mas às vezes cansa, sabe…

  3. Alanna disse

    O que seria da nossa vida sem as metáforas?!… rsrsrsrs…Texto LINDO!

    Como é difícil descobrir quem somos nós e o que fazer da nossa vida, né?!Essa é uma eterna busca e o nosso maior aprendizado! Tenho aprendido muito com a vida e, por isso, me identifiquei MUITO com esse texto!

    “Responsabilizar os outros pelos nossos insucessos é buscarmos lama no deserto.”

    Às vezes a gente tem essa mania… Péssima!
    Mas com a experiência, fica mais fácil reconhecer nossos erros, e assumir, claro!

    Parabéns pelo Blog!

    []s

  4. Van disse

    Vou te falar que não vejo a vida como um circo… mas enfim, como vc disse, fazemos dela o que queremos… e eu quero ser feliz e fazer os outros felizes… quero aprender e ensinar…
    Beijo

  5. Lulu on the sky disse

    Fantástico esse texto hein Cirilo. Gostei muito.
    Coloquei seu Meme no sábado, depois vc qdo tiver tempo dá uma olhada. Saudades de vc, anda muito sumido.. :(
    Big Beijos

  6. rose disse

    cIRILO, ACHO QUE SERIA BEM ÚLTIL SER UM POUCO DE CADA…Pois não saberia usar o ilusionismo quando caísse da corda bamba…tá valendo.

  7. DO disse

    Eu adoraria ser este tal domador,meu amigo.
    Mas chega na hora H,heheheh…

    Show o texto!!

    Otima seman a vc

    Abração,CIRILO!

  8. Janaina de Almeida disse

    Olá Cirilo,
    na realidade de hoje, infelizmente as pessoas estão num momento ilusionista(boa parte, não é o seu caso e muito menos o meu…).
    Tempos atrás estava num momento não palhaça, mas uma integrante de circo que você não citou:mulher barbada, é isso mesmo…
    Explico:infelizmente estamos num mundo machista e com amentalidade na Idade da Pedra, onde nós mulheres ainda passamos por situações que são lamentáveis.Eu posso até dizer que asituação da mulher barbada é semelhante ao do palhaço…
    Só que não devemos nos intimidar, estou num momento domadora, onde mato um leão por dia, apesar de tudo.
    e também me equilibar na cora bamba…
    Um forte abraço e beijos circenses.

Deixe um comentário